sábado, 27 de outubro de 2012


Encontre-me!

Os dias correm apressados
Tenho sentido falta das coisas que perdi;
Das que deixe escapar;
E das que eu pedi que fossem embora.
Perder é uma difícil tarefa
E reconhecer que foi derrotado é de todas a mais pesada
Há momentos que sinto falta de suas crises existenciais,
em outros sinto falta dos seus dedinhos segurando os meus
Da sua doce voz me chamando de Amor...
Agora junto minhas coisas e deixo a casa vazia
Um nó na garganta me faz querer chorar
Queria te pedir que viesses comigo
ou que me encontrasse novamente em frente ao mar
Mas você nem lembra onde eu estou
E eu fico desejando saber aonde você foi
Queria novamente te chamar de Anjo Ferido,
Continuar prometendo que não ia te largar
e ficar imaginando os filhos que teríamos.
Agora tudo está escuro
Se ao menos Deus pudesse me ouvir
Mas sei que Ele também já me abandonou.
O que hoje me resta:
É esperar o tempo passar...

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nem mesmo os clássicos poetas          poderiam narrar as madrugadas em que feliz       me abraço ao abraço dela   E agradeço a Deus ...