domingo, 25 de março de 2012

E quando não se acredita mais no amor
ainda existe algo em que a pessoa possa crer?
Os amigos me sugerem a amizade
Há ainda os que ainda esperançosos que acreditam na felicidade.
E eu aqui fico pensando
“Por que quando você se foi e me levou junto?”
Disseram-me que o amor era algo que estaria em mim
E que eu poderia dar novamente a qualquer outro
Mas não foi o que aconteceu...
Dizem que a dor faz bem aos poetas
Faz tempo que também não escuto a voz da inspiração.
E meu violão assim como do Chico quando a Rita foi embora
Encontra-se mudo.
Há ainda os que dizem que o caminho é simples
Basta que eu me permita
Eu me questiono “permitir a quem?”
Se todos são tão ou mais vazios que eu.
Sinto que a sua pessoa física não mais me faz falta
Mas existe algo que você levou que eu não sei onde pegar de volta
Talvez na religião?
Não! Já me libertei dessa realidade ilusória.
Força de vontade talvez me ajude
ou a terapia é mais eficaz?
Sei lá tanto faz...
Qualquer coisa que me devolva à vontade de viver
De viver não!
Apenas de amar.

Cíntia Maria

Nem mesmo os clássicos poetas          poderiam narrar as madrugadas em que feliz       me abraço ao abraço dela   E agradeço a Deus ...