terça-feira, 30 de maio de 2017

É cansativo tentar manter algumas coisas
Como tentar virar quem senta de costas pro mar
   ou presentar com flores quem tem alergia
É cansativo fingir felicidade quando seu coração é triste
     e olhe que os anos ainda não resolveram pintar meu cabelo de branco
Nem há crianças correndo no jardim
como eu já esperava
Mas meu corpo já cansou de multidões
E sigo sem lar
Sem par
  sem rumo
Nas mãos me sobram dedos pra contar os verdadeiros
Nos dias me sobram horas e angústias das promessas que fiz e não cumpri
E a vida segue mostrando o quanto é cansativo conquistar a mocinha mais bonita da festa que não olha pra você
As trivialidades já não me interessam
E a impotência toma todo meu ser
Não quero as dores de existir como se delas fosse possível escapar
Já não sei mais em quem confiar quando as traições são constantes
Quem não trama?
Quem está?
É cansativo manter aquele corpo que a revista quer ver
   e fingir que tudo vai bem quando você está em pedaços
Dançar nas festas
Amparar o inimigo
Tudo é cansativo e a vida é tão breve
Mas faltam verdades
Falta luz
E tudo é tão cansativo como a leitura daquele filósofo alemão
   e o sorriso sem graça da moça sentada na praça
Não há lugar pra escapar de mim
 Sigo nesse cansaço que é viver
    e viro minha cadeira para o mar
Sabendo que só posso cuidar de mim.

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ela é o amor personificado em gestos          afagos e carícias  e enquanto ela dorme o cd da Mallu toca na tv  Tempero com amor o seu j...