terça-feira, 21 de maio de 2013

Um poema pra mim

Paixão
Tentei escrever sobre esse sentimento
Pensando nas vezes que não o tive
Como ele aparece
e por quê?
Nos últimos dias desejei ter paixão
Acho que muita gente tem desejado
Nesse mundo onde tudo parece um acerto de contas
Eu senti falta de me apaixonar
Do não programável
Do que não tem prazo pro fim. 
Ao conversar com uma amiga enquanto tomávamos banho na lagoa
Pensamos no que temos
E como o virtual têm nos destruído
O sol estava se pondo
A gente tinha perdido espetáculos como esses, presas em um livro 
ou numa tela de um computador.
Quis voltar a ter paixão pelas coisas
Passar dias sem pensar em nada
Fazer passeios de barco
Nadar
Remar
Sonhar como antes
Olhei o sorriso de um homem experiente que me contava coisas da vida
De amores passados
De planos futuros
E filosofei aquele velho clichê que ele me disse enquanto dançávamos
‘tudo tem seu tempo certo’
Sinto meu tempo chegou
Tempo de voltar a viver
O silêncio sussurrou uma frase do Belchior ao meu ouvido
“Cíntia, o tempo, andou mexendo com a gente sim.”
Mexeu, passou e eu cresci
Muitas coisas mudaram
A vida andou me batendo ferozmente
Caí... 
Mas tive forças pra levantar
A temporada das flores chegou
E até senti vontade de chorar
Mas dessa vez foi de alegria
Eu me apaixonei outra vez.
Por tudo que eu já tinha
E tudo que ainda posso ter
Paixão! Há quanto tempo não sentia o seu sabor.

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...