domingo, 27 de janeiro de 2013

Começamos pelo fim
Quando a gente nem precisava terminar
Quando a gente nem precisava namorar
Ela então me disse adeus
Quando a gente só precisava se curtir
E nos desejar um pouco a cada dia mais
Algo tão tranqüilo
Algo que nos fazia bem
Foi embora assim tão facilmente
Assim sem olhar pra trás
Insistir?
Já não sei...
Nem mesmo lembro quem sou
Ou onde me deixei...

Cíntia Maria

sábado, 12 de janeiro de 2013


G.

Seus olhos me pedem carinho
Cuidado
e proteção
Ainda uma menina
Com problemas de gente grande.
O que falta a ela?
Creio eu... que é apenas atenção.
Seus cabelos dourados
Seu sorriso tão lindo
Um jeito meigo e cativante
De uma menina-mulher.
Às vezes penso que ela anda em outra frequência
Que eu ainda não consegui sintonizar
Parece que ela vai fugir a qualquer hora
Ou que está se escondendo
Mas quando a procuro
Lá está... no mesmo cantinho
Quieta
A observar
‘deixando em paz os passarinhos’
Sei que ela guarda muitos desejos calientes
Mas escolheu pra vida a calmaria
Sentada em sua porta
Esperando o sol se pôr
Presa em um mundo que eu desconheço
E que já tentei invadir
Mas ela não vai me mostrar
De longe a observo
Porém sem análise fazer
Eu cuidaria dela
Se fosse do seu querer
Mas o que ela quer eu não sei
Nem me foi permitido saber
Doce e triste menina
Que se esconde de si
Por medo?
Não sei.
E quem a tem...
também não vai saber.

Cíntia Maria

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...