terça-feira, 16 de outubro de 2012


A única coisa que hoje espero: doçura.
com algumas doses de sensibilidade
Quero amantes da arte
Que a saibam compreender
Amantes que valham a pena.
Quero fazer amor com a vida
Já não sei a linha que sigo
Palavras me fazem
vez ou outra sou feita por elas
A tristeza também me faz
e conversar com ele me satisfaz,
Interrogá-lo mais além.
Quando nada existe
Ainda consigo ver
O sentido nas palavras
Indo
e vindo...
Parada sei que não sigo
As vias me acompanham
Sem dom pra vidência não consigo prever
O tal do meu destino,
mas vou sendo levada...
Com a vida vou tendo um caso
Saciada sem comer
Olhando o terreno onde piso
Com cuidado
e falando baixinho.

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...