sábado, 1 de setembro de 2012

Aquela pequena

Quando aquela pequena me agarra ao meio
Eu sinto não quer nada mais nessa vida
Cheiro seus cabelos
Olhos nos seus olhos
E na ponta dos pés ela beija minha boca
Quando aquela pequena me segura a mão
Eu sinto que tenho tudo que preciso
Eu quero que a noite passe lentinha
Eu quero seus carinhos todo o sempre
Olho seu rosto dez vezes
E na última ainda a vejo mais bela
Mais linda
E mais encantadora
E se eu continuar olhando
Ainda encontrei mais brilho
Mais afeto
E mais sentido pra viver
Quando aquela pequena me sorri
Eu fico besta
Nem sei se olho pra lua
Pro mar
Pros seus olhinhos verdes
Quando aquela pequena deita em meus ombros
Sinto-me do tamanho do mundo
Ela se ajeita
Vai se aconchegando
Como quem nada quer
Acabou do chão tirando-me
Nada mais desejo
Que não venha do seu coração
Quando aquela pequena diz que é hora de ir embora
Eu fico triste
Por mim ela não ia nunca mais
Hoje da vida só me resta à certeza
Que coragem terei
E nada nesse mundo
Vai me fazer desistir de você
Não me interessa seu passado
Seus amigos loucos
Eu sou seu presente e futuro
Pequena minha
Não me largue jamais
Não tire suas mãos da minha cintura
Por você
Pra você
Eu vou mudar.

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A mulher que espera

Há impaciência em todos os seus gestos Ela caminha Pede um café Procura meus olhos,        enquanto encaro o teto pensando que nunca ser...