sexta-feira, 21 de setembro de 2012

A!

Um dia nos conhecemos
E a empatia falou por nós
Nos abraçamos e
Nos confidenciamos
Sem precisar de tempo ou qualquer outra coisa 
que garantisse que era verdadeiro.
Ele me tirou as angustias
Deixou meu coração em paz
Levou-me para lugares tão bonitos
Mostrou-me que a vida valia a pena.
Sorrimos de mãos dadas
Entregamos-nos ao sentimento verdadeiro da amizade
Ele me fez chorar mostrando caminhos mais reais
Ele me guiou quando eu estava no escuro.
E um dia a vida nos afastou
E essa era a hora que ele mais precisava de mim
E eu não o acompanhei
Muita gente dizendo tanta coisas
E eu não ouvi mais o sentimento que ele me deu
Fiquei confusa
Joguei nele as raivas dos outros
Nada que ele fizesse tinha para mim um sentido lógico
E enquanto isso ele sofria
E eu não me permitia ver
E assim ficamos cada um em um lado oposto
Mas o que é verdadeiro nunca se apaga
E nos encontramos novamente
Não nos abraçamos como antes
Nem nos confidenciamos
Demos um passo de cada vez
Discutimos
Reclamos 
Julgamos os nossos atos
E depois resolvemos colocar uma pedra na nossa dor
Mas não conseguimos
Voltamos a discutir
Mas a gente ainda se ama
e por isso seguimos tentando
E ele me mostrou que o que é verdadeiro sempre volta
E eu o encontrei quando dessa vez ele precisa de mim
Como eu sempre precisei dele
Permitimos-nos amar
Sermos verdadeiros
E deixar a amizade nos guiar rumo a luz
Hoje nos sentimos felizes um ao lado do outro
Mesmo em silêncio
Ao contemplar um mar
Ao andar na rua
Ao ver o sol se pôr
Hoje sabemos o quanto nos precisamos
E que nada nesse mundo nos afaste mais
Eu o amo
E ele me ama
E dessa vez é pra sempre.

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...