sexta-feira, 6 de julho de 2012


Personal

Ela resolveu de mim cuidar
O porquê não sei,
 não sei...
Apego a profissão sei lá
Talvez...
Mas ela me convidou a caminhar.
E eu que nunca a notei
Não por maldade, nem ignorância ou falta de educação
Só deslize mesmo
Uma pessoa desatenta acaba sempre perdendo.
Mas a atrapalha e doce menina
Veio logo me constranger me perguntando o que era um falo
Com tanta coisa pra fazer
olha o Google por lá
E ela ousa me perguntar.
Eu que havia guardado uma imagem dela nervosinha tocando violão
Fiz meu inconsciente resgatá-la
e trazê-la pra mais perto
E pense no presentão...
Agora eu tenho hora para acordar
e me preocupo em dormir bem,
Consigo até pedalar
E vou notando a paisagem que acompanha as rodas da minha bicicleta
Ela chega cansada e pergunta como foi meu dia
e eu quero saber do dela...
Queria tê-la mais perto...
            Poder dela cuidar.
Esse sentimento ainda nem nome tem
Nem ouso me apressar
Deixa que de lá ela cuida de mim
e eu dela só em me preocupar
Eu tenho a poesia
ela se preocupa com o físico
Juntando os dois a gente não faz mal a ninguém
Eu vou ter que entrar na linha pra sempre saudável ficar
Mas não reclamo não...
Se ela tiver por aqui
Eu faço esse esforço
E quem ganha é meu coração
Agora eu aprendi e sempre vou cuidar de mim.

Cíntia Maria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...