domingo, 29 de julho de 2012



“Quis evitar teus olhos...”

Num dia chato como qualquer outro
Eu avistei os olhos dela
Lindos como o mar
Fixei-os num golpe de ousadia e ela rapidamente os tirou de mim
Mas tão tímidos que eles eram que não resisti e continuei a olhá-los
Ela sorriu e quis saber quem eu era
Naquele dia eu não tinha medo, eu não tinha mais nada a perder...
Um amigo nos notou e fez com que nos falássemos
Ela sorriu embaraçada e querendo me fazer todas as perguntas mais tolas de uma só vez
e eu apenas olhava seus olhos...
Eu poderia conhecê-la numa praia, numa festa...
mas a conheci no dia em que ela trabalhava.
Nesse mundo moderno as tecnologia também servem para encontrar pessoas
E resolvi procurá-la e ela me surpreendeu ao dizer que ficou feliz em saber que a encontrei.
Amor a primeira vista?
Atração?
Sei lá, que me importam os termos, ela me encontrou quando eu não precisava de encontros.
E agora não ouso correr
                               Vamos vida, vai levando a gente...
Permita-nos encontros, permita amores...
Aqueles que encontramos sem esperar, aqueles que encontramos sem data marcada.
Permita               ,
                Permita,
                               Permita....
Eu quero um sorriso ao fim da tarde, quero o brilho loiro dos cabelos dela
Quero por querer
Quero por notar que ela também me nota
Quero porque todos podem ao menos uma tarde, contemplar um céu azul
Assim como ela tem a música tatuada em seu corpo
eu quero tatuar seu olhar no meu.

CCíntia Maria!

sexta-feira, 6 de julho de 2012


Personal

Ela resolveu de mim cuidar
O porquê não sei,
 não sei...
Apego a profissão sei lá
Talvez...
Mas ela me convidou a caminhar.
E eu que nunca a notei
Não por maldade, nem ignorância ou falta de educação
Só deslize mesmo
Uma pessoa desatenta acaba sempre perdendo.
Mas a atrapalha e doce menina
Veio logo me constranger me perguntando o que era um falo
Com tanta coisa pra fazer
olha o Google por lá
E ela ousa me perguntar.
Eu que havia guardado uma imagem dela nervosinha tocando violão
Fiz meu inconsciente resgatá-la
e trazê-la pra mais perto
E pense no presentão...
Agora eu tenho hora para acordar
e me preocupo em dormir bem,
Consigo até pedalar
E vou notando a paisagem que acompanha as rodas da minha bicicleta
Ela chega cansada e pergunta como foi meu dia
e eu quero saber do dela...
Queria tê-la mais perto...
            Poder dela cuidar.
Esse sentimento ainda nem nome tem
Nem ouso me apressar
Deixa que de lá ela cuida de mim
e eu dela só em me preocupar
Eu tenho a poesia
ela se preocupa com o físico
Juntando os dois a gente não faz mal a ninguém
Eu vou ter que entrar na linha pra sempre saudável ficar
Mas não reclamo não...
Se ela tiver por aqui
Eu faço esse esforço
E quem ganha é meu coração
Agora eu aprendi e sempre vou cuidar de mim.

Cíntia Maria!

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...