domingo, 29 de julho de 2012



“Quis evitar teus olhos...”

Num dia chato como qualquer outro
Eu avistei os olhos dela
Lindos como o mar
Fixei-os num golpe de ousadia e ela rapidamente os tirou de mim
Mas tão tímidos que eles eram que não resisti e continuei a olhá-los
Ela sorriu e quis saber quem eu era
Naquele dia eu não tinha medo, eu não tinha mais nada a perder...
Um amigo nos notou e fez com que nos falássemos
Ela sorriu embaraçada e querendo me fazer todas as perguntas mais tolas de uma só vez
e eu apenas olhava seus olhos...
Eu poderia conhecê-la numa praia, numa festa...
mas a conheci no dia em que ela trabalhava.
Nesse mundo moderno as tecnologia também servem para encontrar pessoas
E resolvi procurá-la e ela me surpreendeu ao dizer que ficou feliz em saber que a encontrei.
Amor a primeira vista?
Atração?
Sei lá, que me importam os termos, ela me encontrou quando eu não precisava de encontros.
E agora não ouso correr
                               Vamos vida, vai levando a gente...
Permita-nos encontros, permita amores...
Aqueles que encontramos sem esperar, aqueles que encontramos sem data marcada.
Permita               ,
                Permita,
                               Permita....
Eu quero um sorriso ao fim da tarde, quero o brilho loiro dos cabelos dela
Quero por querer
Quero por notar que ela também me nota
Quero porque todos podem ao menos uma tarde, contemplar um céu azul
Assim como ela tem a música tatuada em seu corpo
eu quero tatuar seu olhar no meu.

CCíntia Maria!

A mulher que espera

Há impaciência em todos os seus gestos Ela caminha Pede um café Procura meus olhos,        enquanto encaro o teto pensando que nunca ser...