sexta-feira, 11 de maio de 2012


Aulas...

Discussões que não cessam ao longo de uma vida
Pensamentos muitas vezes tolos girando sem gravidade
Estarei eu entre homens mortos?
Seres apáticos, sem contexto
Vagando sem nenhum embasamento
Todos pensam conhecer a verdade Universal
Usando como artimanha desmerecer o outro
Uns que não sabem desenhar uma árvore pensam entender mais de arte que Michelangelo
Mas o que de fato nos habilita a reconhecer uma coisa como arte?
Quem está mais certo ou menos certo?
Volta e meia caímos na mesma questão:
É ou não é?
A palavra é dada a todos
Fiquem livres falem suas besteiras
Qual o verdadeiro sentido da arte, da vida, da poesia?
Qual a legitimidade de tudo isso?
E em toda essa interpretação existe algo que é comum a todos
Mas isso por hora me escapa
Quero sair daqui e derivar
E que arte continue me cativando
Com todo o seu refinamento.
Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...