sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Saudade!
Saudade
Sentimento que dói
Que perfura e o peito
E faz o coração sangrar

Há dias não sei dele
Por onde andará?
O que tem feito?
Será que ainda me guarda no peito?

Seu destino não é meu
Mas sinto tanto em não o ter
Bate uma tristeza
Queria ao menos te ver

Se ao menos você voltar
E disser quem em mim por um momento pensou
Que penou por não estar aqui
E que comigo ainda vai estar

Serei mais feliz do que os pássaros que cantam
Que uma criança a correr na chuva
E meus olhos brilharão novamente
Por te ter presente.

Cíntia Maria

2 comentários:

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...