segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Dor!



Quando a morte ainda é viva
Quando a dor não é esquecida
Falar ainda dói
E uma tristeza me corrói

Se paro e penso em você
Sinto-me num mar de dor
E o sal que sinto agora
É das lágrimas indo embora

Você ainda é:
Um pensamento que me tira o sono;
Uma tristeza que me oprime o peito;
Um medo de falar que me rouba o jeito.

É tão difícil fazer o luto
Mas se rompêssemos de uma vez
Acho que não ia ser melhor
Também não sei. Talvez!

Hoje um amor roubou seu coração
E eu que pensei que seria apenas,
uma ilusão passageira.
Vejo você suspirar e sair do chão.

Conto minha vida pelos dias que te perdi
E depois disso muitas vezes te vi
Em quase todas chorei
Mas em muitas dela sorri

Quando um sentimento se acaba
Pode dar vazão a outro.
Às vezes ainda me sinto bem
Por ter ganhado uma amizade

Dizem que o tempo resolve tudo
Mas ele não está me ajudando
Ó céus!
Será que estou pirando?

Escutar uma música 30 vezes
Porque me lembra você, é normal?
Mas o som do João Gilberto
Nunca me fez mal.

Me perder no som do violão
Quando não penso mais em nada
Por um segundo esqueço de você
Nos sustenidos e bemóis do meu ser.

E agora João Gilberto me diz
Que “a tristeza é senhora”
E eu nem de longe ouso desmentir
Agora vou tentar aprender a viver sem ti

Agora tenho que ir
Porque vou cantar pra mandar a tristeza embora
E hoje não quero
“A lágrima clara sobre a pele escura.”

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...