sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Ética Cristã?

Uma voz tão grave
Um olhar tão sério
Traços tão belos
De um homem sedutor

Um sorriso aberto
Faz-me ter um medo incerto
Entrego-me?
Recuo?

Desejo-lhe há tanto tempo
E hoje vai ser assim
Viver pelas pulsões
E me entregar às emoções

Este homem do Senhor
No pecado não pensou
Junto com ele me levou
E só pensamos no amor

Assim eu o quis baixinho
Sem incomodar a multidão
Que por nós passava
Sem saber nossa intenção

Se amar não é pecado
Eu já estou liberta
Mas se Deus existir
Eu não serei encoberta

Agora me encontro alucinada
Sabendo que muitos me julgarão errada
Mas o Id me dominou
E a saudade nem ao menos ficou

Agir por impulsos
Não levar em conta a razão
Faz de nós animais
Em busca de satisfação

E agora
O que ele dirá a Deus?
Se o Seu nome não representou
E pras coisas do mundo ele se entregou

Quando a vida é apenas uma aventura
Nada disso importa
Mas pra as loucuras dessa vida
O mundo não nos abre as portas

E eu acordo
Como se nada tivesse acontecido
Não sinto peso na consciência
Nem nenhum desejo reprimido

Penso no que será que ele pensa agora
Será que chora
E pede desculpas a Deus?
Ou se arrependo do dia que me conheceu?

Brincar de desvirtuar
Os que estão no Caminho
Não me tira o sono
Nem me causa escárnio

E se amanhã o desejo novamente vier me visitar
Eu direi um não!
Não quero mais brincar
Pois morro de medo de novamente me apaixonar.
Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ela é o amor personificado em gestos          afagos e carícias  e enquanto ela dorme o cd da Mallu toca na tv  Tempero com amor o seu j...