sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Vazio chamado vida


    Voltando pra casa as coisas parecem mais bonitas, paro para conversar comigo e dou sentido ao grande Outro. Há tanta coisa que escapa nesse vazio chamado vida, o belo a gente esqueceu de notar, diálogos não conseguimos mais terminar, sentido eu nunca mais ouvi falar.
            O cabelo que agora cai no meus olhos os afasto, para poder ver o verde das arvores que passam, olho para as nuvens que parecem algodão e lhes dou formas em minha doce imaginação e a música que escuto agora me convida ao sono.
            Escrevo agora porque não quero ler alguém e dizer que ele escreve o que eu sinto, quero meu próprio fenômeno transformado em palavras e versos, pois a experiência do outro não me completa por inteira, preciso vomitar o que vejo, o que penso e o que sinto...

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A mulher que espera

Há impaciência em todos os seus gestos Ela caminha Pede um café Procura meus olhos,        enquanto encaro o teto pensando que nunca ser...