terça-feira, 10 de maio de 2011

Um pássaro que foge!


Estive sempre ali a procurar por ti
Como uma criança que procura a puberdade
Como uma mãe que procura seu filho que se perdeu
Como a noite procura o dia
Você sempre foi um bicho estranho para mim
Que tremia quando eu o agarrava
Por mais que eu o segurasse você sumia
Como uma bolha de sabão
Como uma estrela cadente
Como uma chuva de verão
Escapavas de minhas mãos
Como um pássaro que foge
Deixou-me apenas a desilusão.

Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...