terça-feira, 8 de março de 2011

       Eu pensei

Eu pensei que ao te ver nada sentiria, que a ferida enfim estava cicatrizada, porém a dor era imensurável. O chão se abriu para mim ao te ver com o seu amor, o passado girava em minha cabeça e em vão eu tentava me enganar dizendo não ser verdade o que eu presenciava.

Facas penetravam o meu peito ao ver todo o seu carinho e atenção para com ela. O que fazer então? Você que um dia antes jurou me amar, mas é nos braços dela que você dorme. Você que jurou comigo ficar, mas é colado ao corpo dela que você baila.

Eu como tola fico a me enganar, as dores tão fortes querem me esmagar, e eu que nunca cogitei minha vida sem ti, mas tu o fizesses por nós se entregando a outro alguém.

E agora eu devo seguir não te olhar talvez doa menos, não lembrar talvez seja eficaz. Não permitir que os caminhos me levem pra trás. Não falar? Não ouvir? Não pensar? Existe um lugar onde eu não possa te amar? Telefone? E-mail? Endereço? Tudo isso ainda tem muito apreço. Sonhos, desejos e planos futuros, tudo que ficou no escuro.

O que não consigo entender é porque ainda me procuras, eu não quero ser coadjuvante no teatro da minha VIDA.
    
Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ela é o amor personificado em gestos          afagos e carícias  e enquanto ela dorme o cd da Mallu toca na tv  Tempero com amor o seu j...