quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Um verme venenoso roeu meu coração


















Como acreditar-te?
Juras de amor
Sonhos sem pavor 
Noites de luar
Minha vida te dei para cuidar
Então você apagou a luz
Deu-me a escuridão
E foi roendo lentamente meu coração.


Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...