domingo, 20 de fevereiro de 2011

Minha Doce Lua


 Eu vi a lua e lembrei-me de você. Dos seus olhos brilhantes ao contemplá-la.
E quando eu a via no céu, ela era tão semelhante ao seu sorriso, tão doce,  tão singela e tão inusitada.
Mas, vê-la sem você não tinha a mesma intensidade. Pois o que me divertia era poder compará-la a sua luminosidade.
Quando a lua nascia no céu eu não conseguia pensar em mais nada que não fosse você, que me encantava e que tinha um amplo poder de sedução.
Que não me trazia tristezas apenas um palpitar maior do coração.
Quando a lua entrava no palco da minha vida, tudo tinha um colorido mais belo que me enlaçava.
E quando a minha Doce Lua se despedia no meu céu, a escuridão novamente me abraçava.


Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...