domingo, 19 de dezembro de 2010

     Na caverna

Por muito tempo fui dominada pelo Ego
E meus sentimentos sempre estiveram recalcados
Isso me impedia de ver o que há de mais belo em você
Então deixei a máscara cair
E profundamente fui te sentir
Como pude ficar tanto tempo na sombra da caverna
Se meu amor me esperava lá fora
Com você eu passei a enxergar no escuro e a sentir o cheiro de felicidade
Com você tudo tem valor de verdade
Eu aprendi a sentir
E nunca mais quero sair desse mundo que tem gosto de saudade.
Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...