quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A caixa de mentiras


Parei pra juntar o que sobrou de nós
Procurei por todos os lugares
Achei apenas uma caixinha
Nela estava escrito: MENTIRAS
É isso, é tudo o que me restou
Nada mais que tenha valor
Eu tola insistia em procurar
Não! Não havia nada que eu pudesse salvar
Então peguei a pequena caixa e no mar fui jogar
Que cada onda levasse pra bem longe todos os momentos ruins
E os bons?
Ah esses ainda estou a procurar...
Cíntia Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com o esteto no pescoço   saindo do plantão Ela lê meus poemas Não estão na televisão     nem no rádio Não sou grande poeta Nem mesmo ...